União contra expansão em porto

O pedido de adensamento de áreas (expansão dos portos privados na área dos públicos) nos berços 201, 202 e 905, no Cais de Capuaba, feito pelo Terminal de Vila Velha e Terminal Portuário Peiú, provocou reação de 10 entidades empresariais do Estado.

Entre elas estão a Associação dos Operadores Portuários (Aopes), o Sindicato do Comércio de Exportação e Importação (Sindiex), Centro do Comércio do Café de Vitória (CCCV), além do Sindaees, da Apra, do Centrorochas, Transcares e Suport-ES.

Segundo o presidente da Aoes, Nilo Martins Filho, há impedimentos legais. Ele explicou que as instalações pedidas são hoje as mais eficientes e rentáveis para a Codesa, com a ocupação de 80%, além de serem as mais usadas por operadores portuários e, assim, empregos, sem falar na precarização das atividades portuárias. ”

O pedido está em análise na Secretaria de Portos (SEP), na Agência de Transportes Aquaviários (Antaq) e na Codesa.